Como usar o pensamento crítico para lidar com o excesso de informações?

Post 2 of 450
Como usar o pensamento crítico para lidar com o excesso de informações?

Ao mesmo tempo em que a tecnologia é uma aliada no dia a dia, ela pode nos sobrecarregar. Notamos essa sobrecarga quando não sabemos como lidar com o excesso de informações que recebemos.

Redes sociais, sites, programas de TV e rádio, diariamente, nos fornecem uma quantidade absurda de notícias — inclusive, algumas falsas, que são um verdadeiro desserviço para a população em geral.

Mas será que, realmente, precisamos estar a par de tudo o que acontece ao nosso redor? Saber das novidades e se manter  atualizado sobre diferentes fatos é bem importante, mas cuidar do nosso bem-estar e saúde mental também.

Por isso, confira como lidar com o excesso de informações e aprenda a extrair apenas o que é relevante para a sua vida.

Como lidar com o excesso de informações?

Saber como lidar com o excesso de informações faz bem para a mente e para o corpo. Sim! Já reparou como, após ler ou ouvir uma notícia ruim, seu organismo responde àquela ação?

Dependendo do que está sendo noticiado e da condição de quem recebe a notícia, isso pode gerar ansiedade, medo, preocupação e vários outros sentimentos que, muitas vezes, não eram necessários serem sentidos naquele momento.

Por isso, conseguir “filtrar” as informações recebidas é tão importante. Se atualizar apenas com dados que podem, de alguma forma, contribuir para a sua vida, ajuda a promover um dia a dia mais leve e feliz.

Mas como fazer isso, considerando que a tecnologia facilitou para que nós nos mantivéssemos boa parte do tempo conectados? 

Nessa hora, usar o pensamento crítico ajuda bastante, pois ele nos faz pensar e ver além da circunstância apresentada e da aparência daquela informação.

Além disso, veja outras técnicas de como lidar com o excesso de informações:

  • identifique que tipo de informação quer consumir, dando preferência para assuntos que realmente agregam valor à sua vida;
  • defina horários no seu dia para se informar sobre o que está acontecendo próximo a você e ao redor do mundo;
  • tenha momentos para se distrair, descansar a mente e o corpo;
  • questione, duvide, critique, não aceite todas as informações que são colocadas na sua frente sem analisá-las;
  • busque fontes confiáveis, não acredite apenas no “disse me disse”.

Como não cair em “fake news”? 5 dicas de como identificá-las

E por falar em fontes confiáveis, muitas pessoas têm medo de ficarem de fora de algum fato e acabam acreditando na primeira informação que recebem, sem ao menos averiguar se são ou não reais.

Hoje em dia, o uso cada vez maior de aplicativos de mensagem (como o WhatsApp), têm tornado essa tendência ainda mais intensa.

De acordo com a Forbes, em 2018 o Brasil era o terceiro no ranking de países mais expostos às fake news.

Certamente, você já recebeu algum link de uma notícia que não era real ou até mesmo acessou um site com conteúdo duvidoso, não é?

Mas saber como lidar com o excesso de informações consiste também em filtrar quais são verdadeiras ou não.

Confira agora 5 dicas de como não cair em notícias falsas:

  • não acredite apenas no título da matéria, por vezes, ele é apenas um chamariz para que as pessoas cliquem. Na dúvida, leia na íntegra;
  • confira a data da notícia e considere apenas as informações atualizadas;
  • desconfie de orientações extremistas, alarmistas ou vagas;
  • desenvolva o hábito de olhar as informações por diferentes ângulos;
  • use sites de validação de veracidade de notícias, tais como Agência LupaFato ou Fake, Agência Pública, E-Farsas e Fake Check.

Nós, do Instituto Reação, acreditamos que a educação também é uma boa maneira de evitar a propagação de notícias falsas que podem prejudicar outras pessoas.

Por isso, orientamos nossos alunos dentro dos princípios do esporte, que visam respeito e cuidado com o próximo.

Conheça mais sobre o Projeto Reação Educação.

MENU