Você sabe quais são os desafios que as crianças brasileiras terão pela frente? Entenda como podemos reverter essa situação.

Post 7 of 431
Você sabe quais são os desafios que as crianças brasileiras terão pela frente? Entenda como podemos reverter essa situação.

Ainda que o Estatuto da Criança e do Adolescente esteja em vigor desde 1990, os desafios das crianças brasileiras ainda são muitos e enfrentados diariamente.

Por mais que haja a atuação de diversas ONGs para minimizar os problemas enfrentados por elas, há muito que precisa ser feito.

Para que você tenha uma ideia, o relatório da Unicef, Fundo das Nações Unidas para a Infância, mostrou que apenas 32,7% das crianças com até 3 anos estavam em creches em 2017.

Isso nos dá margem a pensar: onde estariam esses pequenos enquanto os pais trabalhavam? Que riscos estariam correndo? Quanto isso impacta no seu desenvolvimento físico e intelectual? 

Fora esses, quais desafios das crianças brasileiras ainda fazem (e farão) parte da realidade do nosso país?

Os 4 principais desafios das crianças brasileiras

Os desafios das crianças brasileiras ainda são muitos, vão desde o sub-registro, ou seja, não serem registradas ao nascer, até a mortalidade causada por fatores como desnutrição e outros problemas de saúde.

Por mais que muito esteja sendo feito, especialmente pelas Organizações não Governamentais, infelizmente, há vários problemas que podem ser vistos neste e nos próximos anos.

Pobreza

Viver em situação de pobreza, ou pior, de extrema pobreza, tira das crianças diversas possibilidades e direitos básicos.

A falta de acesso à saneamento básico ou de uma alimentação adequada, comprometem seu crescimento e a sua saúde drasticamente.

Além disso, situações assim comprometem seu desenvolvimento (físico e mental) por colocá-las em uma posição bastante desprivilegiada em comparação aos demais membros da sociedade.

Trabalho infantil

Uma consequência da pobreza é o trabalho infantil. A fim de diminuir essa realidade, não é raro os pais colocarem seus filhos pequenos para conseguirem alguma renda, por menor que seja.

As leis brasileiras preveem que nenhuma criança com menos de 13 anos pode trabalhar. Porém, há dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que comprovam que mais de 190 mil estavam nessa condição em 2016.

Além de não poderem descansar adequadamente ou brincar, um dos principais reflexos dessa realidade é  a ausência nas escolas, tirando delas ainda mais oportunidades futuras.

Ausência de educação de qualidade

De acordo com o site Fora da escola não pode!, desenvolvido pela Unicef em parceria com a Campanha Nacional pelo Direito à Educação, mais de 3,8 milhões de crianças e adolescentes estão fora das escolas.

Esse número foi mensurado pelo IBGE e mostra a realidade de quem está na faixa etária entre 4 e 17 anos.

A informação vai na contramão do que estabelece o ECA em seu artigo 53, que diz que “a criança e o adolescente têm direito à educação, visando ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho”.

Ainda que exista o Plano Nacional de Educação (PNE) desde 2014, o maior desafio é implementá-lo em todo o país.

Violência

Entre os desafios das crianças brasileiras temos a violência, que engloba a psicológica, a física, a 

institucional e a sexual.

Infelizmente, muitos desses atos começam dentro de casa e são cometidos por pessoas da própria família. 

Como sequelas, as crianças vítimas de violência podem crescer adultos com diversos traumas, medos e inseguranças.

Somado a isso, a violência reflete na sua saúde física e mental, podendo levar a quadros de depressão, ansiedade, problemas físicos, entre outros.

Como minimizar esses desafios

A triste realidade dos desafios das crianças brasileiras nos faz refletir sobre o que pode ser feito para ajudá-las.

As ONGs, por exemplo, têm papel muito importante nessa causa. Essas organizações são criadas a fim de levar às pessoas mais condições de vida e de futuro.

Defendendo diversas causas, as instituições do terceiro setor buscam amenizar os problemas enfrentados diariamente pela população. 

O Instituto Reação é uma dessas ONGs. Com diversos projetos que usam o judô e a educação como ferramentas para um futuro melhor, mais de 2.000 crianças, adolescentes e jovens são atendidos atualmente atendidos.

Quer conhecer mais sobre o Instituto Reação e ajudar também? Acesse o nosso site e descubra como!

MENU