Reação dá início às Cerimônias de Troca de Faixas 2018

Post 6 of 280
Reação dá início às Cerimônias de Troca de Faixas 2018

Cerca de 358 alunos dos polos Gamboa, Pequena Cruzada e Solar Meninos de Luz disseram adeus à faixa branca e agora estão mais perto de se tornarem faixas preta dentro e fora do tatame.

O primeiro evento foi no polo Gamboa, realizado no dia 08/11. A cerimônia foi comandada pelo Coordenador do Programa Reação Escola Faixa Preta, Carlos Lapa, e pela sensei Raquel Silva, responsável pelas aulas. O polo Gamboa foi aberto este ano, em parceria com a Fundação Darcy Vargas, o que tornou esta data um marco ainda mais especial.

“Eu estou aqui no polo desde que abriu e não tenho nada do que reclamar, só agradecer. A cerimônia foi sensacional”, diz Elisângela Macedo, mãe da aluna Fernanda Macedo de Abreu, que agora virou faixa cinza no esporte.

No dia 13/11, foi a vez dos alunos da unidade Pequena Cruzada também alcançarem mais uma graduação no judô. A cerimônia aconteceu pela manhã e reuniu familiares, funcionários da escola e alguns integrantes do Reação. Na ocasião, também foram entregues os prêmios para as oito melhores redações sobre os valores trabalhados este semestre: Disciplina, Humildade e Solidariedade. Os vencedores foram Lara Ribeiro de Souza, Lucas Capistrano, Yasmim Nascimento de Jesus, Ana Beatriz Leite de Brito, Ana Luiza Castro de Aquino Oliveira, Ana Luiza Castro de Aquino Oliveira, Laura Rodrigues de Paiva de Carvalho e João Antônio Fabbris da Silva.

“Eu gostei muito de ter ganhado. Acho que todos os textos foram muito bons e me sinto muito honrada de ter vencido”, diz a judoca Ana Luiza Castro de Aquino Oliveira, de 10 anos, faixa cinza no Judô. Ela escreveu uma redação sobre o valor humildade e ganhou de presente uma mochila do Reação com livros e outros brindes.

No fim do mês, dia 21/11, mais judocas comemoraram esse rito de passagem em uma cerimônia linda no polo Solar Meninos de Luz. As faixas foram trocadas pelos pais e responsáveis em momentos de muita emoção.

“Passar de faixa não é só amarrar uma faixa nova na cintura. A gente imagina uma escada bem grande e esse é só o primeiro degrau. Alguns estão dando um passo maior, mas o objetivo é todos chegarem lá no fim, se tornando faixa preta. Quanto mais a gente vai escurecendo a faixa na nossa cintura, mas difícil fica, mas vamos adiante. Passar de faixa também é uma melhora de tudo que fazemos. Nos tornamos mais disciplinados e temos mais responsabilidade”, disse o sensei Cristiano Oliveira, professor do polo Solar Meninos de Luz, sobre a importância da troca de faixa.

Parabéns judocas! Que venham muitas outras graduações na vida de vocês!

MENU